RSS

Mais duas sobre twitter e jornalismo…

04 set

Repórter do Washington Post é suspenso por notícia falsa no Twitter

Por Summer Harlow/MM

O jornalista esportivo Mike Wise, do Washington Post, foi suspenso do trabalho por um mês depois de enviar um alerta falso no Twitter dizendo que a suspensão de um conhecido jogador de futebol americano do Pittsburgh Steelers duraria por cinco jogos, informou a NBC.

Depois de vários alertas no Twitter, Wise finalmente revelou que havia inventado a notícia para provar o ponto de que “qualquer um publicaria qualquer coisa”, afirmou Michael David Smith, chefe de blogueiros do FanHouse, da AOL Sports. O Miami Herald e o Pittsburgh Tribune-Review são alguns dos jornais que reproduziram o comentário de Wise.

Em um memorando aos repórteres, o editor de esportes do Washington Post lembrou que a ética jornalística deve prevalecer sempre, em qualquer plataforma de notícias.

“Os mesmos padrões que usamos no jornal, na página na internet, nos dispositivos móveis ou em qualquer outra plataforma se aplicam ao mundo das redes sociais. Fundamentalmente, temos que ser precisos, transparentes e justos”, afirma o comunicado.

Como apontaram diversos blogueiros de esportes, como os da revista The Atlantic e do jornal Washington Post: ironicamente, ao tentar chamar a atenção para a falta de credibilidade da imprensa, Wise acabou prejudicando a sua própria.

Twitter é o primeiro a publicar notícia sobre reféns em prédio do Discovery Channel nos EUA
Por Summer Harlow/LC

Tal como aconteceu quando um avião pousou no rio Hudson, nos EUA, em 2009, e com o massacre em Mumbai, na Índia, em 2008, a notícia de que um homem armado mantinha reféns na sede do Discovery Channel, em Maryland, circulou no Twitter antes de qualquer outro meio, informou o Washington Post.

Um funcionário do canal tirou fotos do atirador, identificado como James Lee, e as publicou no Twitter “horas antes das equipes de rádio e televisão relatarem o evento”, disse o site Bluhalo.

Usando o hashtag (tópico de busca no Twitter) #discovery, usuários da rede social puderam enviar notícias e pedidos de oração para seus amigos e familiares no interior do edifício da Discovery Channel, enquanto jornalistas postavam pedidos de entrevista.

Alex Priest, do Technorati, afirmou que as redes sociais “revolucionaram o ramo de notícias”. Para ele, o Twitter “se tornou rapidamente a principal fonte de informação sobre o incidente”, que culminou com a libertação dos reféns depois que Lee morreu baleado pela polícia.

Clique aqui para ler mais notícias do Centro Knight sobre jornalismo e Twitter.

Anúncios
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: